quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Palavras...

Palavras contadas
Palavras cantadas...
Serão só palavras?
Palavras faladas?
Palavras espalhas...
Palavras ao vento...
Só palavras?
Palavras sentidas
Palavras esquecidas
Ou meia palavra?
Ter palavra
Manter a palavra.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mais um dia...

Mais uma noite...e o sono não vem...
Me pesa o pensar...
Não me deixa descansar.
Em um mundo tão imenso
Imensa é a minha solidão.
Não ter alguém para conversar...
Ninguém para entender o meu sofrer...
Os meus medos...
Meus sonhos...
Meus desejos...
Ando cansada...
Ontem foi dia dos pais
Todo dia é dia de pai, de mãe...
Devia ter dia de filho...
Meu Pai, eu te desejo vida!!
Longa vida!
Hoje, não escrevo com intenção de poesia...
Minha cabeça está cheia, mas parece mais vazia
O peito aperta
A garganta trava
A dor é imensa...
Uma tristeza que vem não sei de onde...
Um preciso viver...
Um cansaço do sofrer.
Seja lá o que for...
Seja lá o que for essa dor...
Se hoje for o fim...
Eu só digo que amei, amei
E amei...
De verdade.
Um dia eu sonhei em ser poeta...
Mas sou só...uma sonhadora.
Que ri e que chora...
Só...

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sempre que olho o céu
Fico a imaginar seu jeito...
Esqueço do mundo
Permaneço imersa em meus pensamentos
Sentimentos...perdido entre lembranças
Esperanças
Perdidas lembrança

Palavras ...
Esperanças..
E sonhos.


segunda-feira, 31 de julho de 2017

Esse vazio imenso
Chamado  solidão...
É frio...
Insuportável
Sofrido
Doente
É a ausência presente
Descontentamento
É ser rasa
Ser nada
Não ter
Não querer
Ninguém se importa
Não...ninguém bate a porta.
A aorta...dói..




sexta-feira, 21 de julho de 2017

Verei você em cada outono...

Frio...
As folhas caem
Adeus...
Adeus...
Verei você sempre...
Em cada brisa de vento.
Em cada lembrança...
Na sua vontade de viver
Na sua esperança de ficar
Na sua insistência em uma nova chance...
Até logo...
Mas meu coração não quer te deixar ir...
Espero que fiques...

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Onde estás agora...

E por falar em saudades
Onde anda você
Faz tanto tempo que não te vejo...
Eu ouço passos ao longe...
Eu corro ...
Mas não te vejo...
Eu sonho,
Estou voando,
Te procurando...
Mas não te encontro.
Eu conto as horas,
Eu conto os dias
Vivo de contos...
Conto estrelas a noite
De dia passarinhos
Eu vou contando os dias...
Olho a janela...
Eu ouço passos...
Mas não te vejo...
Eu não te encontro...
Estas distante...
Tão frio,
Tão seco.
Eu me perco...



domingo, 18 de junho de 2017

...

Me invade a dor na alma
Me devora
Me esmaga
Esfola.
Tristeza, melancolia toma conta do meu ser.
Escurece...
Me aniquila.
Dura...tão dura vida...
Hoje não consigo me ancorar 
Em bons pensamentos.
Não há cheiro de flôr...
Nada de verdades...
Negativas de amor...
Como doí...triste sina
Estar viva...estar morta...
Um impulso derradeiro
De onde vem?
Cala-te!
Não posso mais ouvir meus pensamentos.
Recolha-se último pulsar...
Admita o óbvio
Se entregue ao destino...
Desfaça os laços...
Sem colo...
Só nó...
Sem cor...